×
Logomarca

Rebaixamento do Brasil é recado para deputados

por Mariano Maciel 12 de janeiro de 2018

Uma das maiores agências internacionais de classificação de risco, a Standard &Poor’s, rebaixou a nota de crédito do Brasil de BB para BB-. Com isso, o País fica três patamares abaixo do grau de investimento, que é o selo de bom pagador. Sem ele, os financiamentos externos para empresas brasileiras ficam mais caros e a desconfiança internacional com a capacidade de pagamento do País fica maior. Na avaliação do deputado Darcísio Perondi (MDB-RS), vice-líder do Governo na Câmara, este rebaixamento traz recados importantes. O primeiro, é que o País precisa fazer mais, concluir todas as reformas na área econômica. E o segundo e mais importante, é dirigido aos parlamentares, que precisam aprovar a Reforma da Previdência.

Segundo Perondi, seis meses de trabalhos no Congresso Nacional foram perdidos por conta das duas denúncias apresentadas pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A Reforma da Previdência deveria ter sido votada em maio do ano passado. “O Janot, de forma irresponsável, apresentou duas denúncias vazias que foram derrubadas, agiu de forma corporativa para barrar a reforma da previdência. Aproveitou depoimentos de dois empresários bandidos, os irmãos Joesley e Wesley Batista, para atacar o Presidente. Depois ele teve que recuar e os empresários, que antes haviam recebido um perdão histórico, agora estão presos. Mas o estrago foi feito e o prejuízo ao Brasil é incalculável”, afirmou Perondi.

         Na avaliação do parlamentar gaúcho, o buraco fiscal precisa ser atacado e isso depende do Congresso Nacional. “Do buraco econômico nós já saímos. O País voltou a crescer, a inflação é a menor em 20 anos e a balança comercial é a maior da história. Falta tapar o buraco fiscal. O Brasil ainda gasta mais do que arrecada, herança assustadora dos governos anteriores do PT. E o buraco maior está na previdência pública. Então, nós deputados precisamos votar a reforma da previdência no dia 19 de fevereiro. Se não votarmos, vamos sinalizar para os investidores internacionais que pretendem gerar riquezas e empregos em nosso País, que o Brasil não tem competência para pagar sua gigantesca dívida interna bruta. Tenho certeza que os deputados vão entender este recado”, afirmou Perondi

Comentários

O Portal Direto do Planalto informa aos seus leitores que não se responsabiliza pelas consequências jurídicas sobre as opiniões divulgadas nos campos de comentários, e que as postagens de conteúdo ofensivos serão excluídos da página.